domingo, 15 de novembro de 2009


O prometido é devido!
Ah, pois é! 


Depois de ouvirem a leitura de A Cigarra e a Formiga, na versão de Ester de Lemos, os alunos das turmas de 3.º e 4.º anos, da EB1 de Vila Nogueira de Azeitão,  foram convidados a reescrever a fábula, substituindo algumas palavras "caras" por palavras suas. 
Agora todos podem ver os seus trabalhos expostos na biblioteca. 


O blogue quer ir até mais longe... Vamos levar até vossa casa uma amostra das muitas versões recriadas na escola. 
(Espero que gostem desta! Eu gostei de todas!)

Primeiro, a versão de Ester de Lemos.

A CIGARRA E A FORMIGA


Tendo a cigarra cantado
Todo o Estio

Achou-se em mísero estado
Ao vir o tempo do frio.
Nem sequer um pedacito
De moscardo ou de mosquito!
Foi pedir uma esmolinha
À formiga sua vizinha:
“Empresta-me uns grãos de trigo,
Só alguns, muitos não digo,
Até vir a Primavera.
Eu pago, a vizinha espera…
Palavrinha de animal:
Pago o juro e o capital.”
A formiga, que é má rés
E não gosta de emprestar,
Apressou-se a perguntar:
“E durante o Verão que fez?”
“Bom, no Verão… saiba a vizinha,
Que eu cantava a toda a hora.”
Ai cantava? Que gracinha!
Pois muito bem, dance agora.”



in Antologia - 6.º ano


A CIGARRA E A FORMIGA


Tendo a cigarra cantado
Todo o Verão
Achou-se insignificante
Ao vir o tempo do frio.
Nem sequer um pedacito
De mosca grande ou de mosquito!
Foi pedir uma comidinha
À formiga sua vizinha:
“Empresta-me uns grãos de trigo,
Só alguns, muitos não digo,
Até à próxima estação
Eu pago, a vizinha espera…
Palavrinha de animal:
Pago o juro e o essencial.
A formiga, que é insensível
E não gosta de emprestar,
Despachou-se a perguntar:
“E durante o Verão que fez?”
“Bom, no Verão… saiba a vizinha,
Que eu cantarolava a toda a hora
Ai cantava? Mas que disparate!
Pois então, agora baile.”

Versão de Catarina Amaro e Mariana, 4.º Ano Turma B


A CIGARRA E A FORMIGA

Tendo a cigarra cantado
Todo o Verão
Achou-se miserável
Ao vir o tempo do frio.
Nem sequer um pedacito
De uma mosca grande ou de mosquito!
Foi pedir uma migalha de trigo
À formiga sua vizinha:
“Empresta-me uns grãos de trigo,
Só alguns, muitos não digo,
Até vir a estação mais florida
Eu pago, a vizinha espera…
Palavrinha de animal:
Pago o juro e o principal.
A formiga, que é de mau feitio
E não gosta de emprestar,
Despachou-se a perguntar:
“E durante o Verão que fez?”
“Bom, no Verão… saiba a vizinha,
Que eu cantava todo o dia.
Ai cantava? Que piada!
Pois muito bem, dance imediatamente!"



Versão de Esther de Lemos – Adaptação feita por Juliana e Francisco 4.º Ano Turma C




Não bastou reescreverem a fábula; os alunos também leram os seus textos aos colegas. Alguns leram-nos com tanta expressividade que fizeram-nos imaginar que estávamos mesmo a ouvir a cigarra e a formiga! 

Parabéns!


Eis alguns dos nossos leitores...


2 comentários:

Manuela Caeiro disse...

Faço ideia da quantidade de versões que estão na exposição da biblioteca! Posso mandar a minha também? :-)

Outra coisa: esta técnica de disfarçar rostos tem sido apurada! Muito melhor!!! Parabéns!

Leonor disse...

Muito obrigada!
Um grande beijinho.

 
Copyright (c) 2010 palavras partilhadas. Design by Wordpress Themes.

Themes Lovers, Download Blogger Templates And Blogger Templates.